16/02/2012

GERALDO FILME




 Essa postagem é antiga, já feita neste espaço, mas gostei e postei de novo! 
 
Quem manda esta dica é o ACERVO SENZALINHA, fruto ininterrupto do Marcelo Moraes, produtor cultural, pesquisador antenado e conhecedor dos melindres que compõem  nossa vastíssima cultura.   Destaca programa de seu acervo, gravado da TV Cultura, sobre a vida e obra do distinto senhor acima:  Geraldo Filme.  Com  pai  violinista e  mãe , fundadora  do primeiro cordão carnavalesco formado só por mulheres negras( futura Escola de Samba Paulistano da Glória), Geraldo Filme boa pessoa certamente seria. E foi. Tanto que o menino tomou gosto pelo prazer  musical, artístico e revolucionário ambientado em casa, influenciando sua iniciação prematura – compôs seu primeiro samba aos dez anos de idade.  E não parou mais. Pelo Vai-Vai foi campeão com samba-enredo homenageando Solano Trindade e é sempre lembrado com o  "Vai no Bexiga pra Ver", samba elevado a hino da escola.
 “Escolas, eu peço o silêncio de um minuto. O Bixiga está de luto. A voz de Geraldo Filme emudeceu, pariu. Vai ter placa de bronze e ficou na história”, palavras de Oswaldinho da Cuíca, durante o velório do amigo.





REENCARNAÇÃO
Geraldo Filme

Pai, criador do universo
Quero lhe pedir perdão
Pelos erros cometidos
Espero não chamar seu nome em vão

A gente aqui na Terra erra
Muitas vezes sem razão
Peço ao Criador
Quero voltar na reencarnação

Sei que vou subir
Meu pensamento está na descida
Espero que o bom zambi me devolva
Tudo de bom que tenho nesta vida

O som do surdo e o atabaque
Sentir meu corpo tremer
Tomar a bença a Mãe Rosa
Pedrinho a me proteger
E as crianças me chamando de Tio Gê

Quero ser sambista
Ao renascer de novo
Pra cantar a alegria
E desventura de meu povo

Quero ter muitos amigos
Como tenho atualmente
Cantar samba na avenida
E nascer negro novamente